Prevenção e Saúde das Crianças

Conheça os benefícios da fruta na alimentação do seu filho. São muitos os benefícios da fruta para a alimentação das crianças. No entanto, nem sempre é fácil incentivar os mais pequenos a ingerir algumas peças de fruta ao longo do dia. Conheça as suas vantagens nutritivas e convença o pequenote a ter uma alimentação saudável.

“A fruta é rica em minerais (por exemplo, potássio e magnésio), vitaminas (vitamina C, provitamina A, folatos), fibra alimentar, vários fitoquímicos, nomeadamente carotenóides e compostos fenólicos e também em água. Pela sua riqueza em nutrientes reguladores e protectores,

cabe-lhe bem a denominação de alimento protector”, defende Alexandra Bento, presidente da Associação Portuguesa de Nutricionistas (APN). O consumo de fruta ajuda a regular a função digestiva, estimula as defesas orgânicas e promove o crescimento e desenvolvimento de crianças e adolescentes. “Ao mesmo tempo que é rica em nutrientes protectores, a fruta praticamente não fornece proteínas nem gordura e é escassa fornecedora de hidratos de carbono, particularmente frutose, cujo teor determina o seu grau de doçura. Atendendo ao seu reduzido teor em nutrientes energéticos e à elevada concentração de vitaminas e minerais, a fruta apresenta elevada densidade nutricional ao mesmo tempo que tem valor calórico reduzido”, defende Alexandra Bento.
Riscos para quem não consome fruta
A Organização Mundial de Saúde identifica o baixo consumo de frutos e hortícolas como um importante factor de risco para o aparecimento de doença e morte prematura. “Estima-se, de facto, que o reduzido consumo destes alimentos seja responsável por cerca de 19% dos cancros gastrointestinais, 31% da doença cardiovascular isquémica e por 11% dos enfartes de miocárdio e que potencialmente, mais de 2,7 milhões de vidas poderiam ser salvas todos os anos se cada pessoa consumisse quantidades adequadas de frutos e vegetais”, adverte a presidente da APN. Ao consumir uma grande variedade de frutas, hortaliças e legumes, a leitora e os seus filhos estarão a obter importantes quantidades de vitaminas, minerais, fibras e outras substâncias protectoras que asseguram uma ingestão nutricional adequada.

“O baixo consumo de horto-frutícolas está associado a carências de vitaminas e minerais e/ou a diversos distúrbios intestinais”, esclarece Alexandra Bento.
Frutas de todos os tipos e feitios
As crianças, aos três anos de vida, podem consumir todos os tipos de frutos. “Os pais devem optar por dar aos filhos, fruta madura, que é mais fácil de digerir e tentar escolher sempre fruta da época, não só porque é mais saborosa e económica, mas também para ensinar aos filhos que existem espécies características das diferentes Estações do ano”. Acompanham bem qualquer refeição, pelo que os pais deverão ser responsáveis de incutir, desde muito cedo, o consumo de fruta logo pela manhã, na refeição mais importante do dia, o pequeno-almoço.

“Em alternativa, podem consumir um sumo feito em casa ou um sumo 100% a acompanhar o que habitualmente comem, como por exemplo, os cereais. A fruta também constitui a sobremesa de excelência do almoço e do jantar. Se não for consumida nas refeições principais, pode e deve ser incluída na merenda da manhã ou da tarde”, recomenda a nutricionista. Os pais devem também colocar fruta na lancheira da escola, além do pão com queijo ou fiambre, do iogurte ou pacote de leite e da garrafa de água. Além disso, é fundamental que os pais também ingiram três peças de fruta por dia pois “em nada adianta mandar os filhos comer fruta se os pais (e os avós) não derem o exemplo…”
Boiões de fruta. Sim ou não?
Deve privilegiar-se o consumo de fruta natural relativamente a todos os outros produtos à base de fruta, nomeadamente boiões para bebés e sumos de fruta natural, atendendo a que as características nutricionais sofrem ligeiras alterações aquando do seu processamento. Por exemplo, há uma diminuição na quantidade de fibra alimentar. “No entanto, os boiões de fruta para bebés podem constituir uma alternativa em algumas situações, como é o caso das viagens em família, das idas à praia, para dar alguns exemplos. Os boiões de fruta podem facilitar a ingestão de fruta em momentos em que tal é difícil, como no lanche na escola e os sumos de fruta são bebidas de alta qualidade, que aliam qualidade nutricional e sabor, ideais para ajudar a matar a sede ou acompanhar um saboroso lanche”, acrescenta Alexandra Bento.
Quando as crianças rejeitam a fruta. O que fazer?
A fruta pode ser dada a todas as refeições: pequeno-almoço, merenda da manhã e da tarde, sobremesa do almoço e jantar. “Não é necessariamente obrigatório comer a fruta crua ou inteira, por isso, no caso das crianças rejeitarem o consumo, é importante ser criativo. Além dos sumos e dos batidos de fruta que complementam o pequeno-almoço ou os lanches ao longo do dia, podem misturar-se pedaços de fruta na salada, com o leite ou iogurte e os cereais de pequeno-almoço; pode utilizar-se fruta para preparar os pratos favoritos das crianças e podem usar-se para enriquecer as sanduíches”, sugere Alexandra Bento. Para dar exemplos concretos, a presidente da APN sugere as seguintes alternativas: “a salada de fruta, as espetadas de fruta com ou sem adição de iogurte e a mistura de gelatina com fruta podem constituir sobremesas agradáveis e saudáveis para aumentar o consumo deste grupo de alimentos pelas crianças. Nos dias de festa, em vez dos doces de ovos e dos bolos de chantilly e chocolate comprados na confeitaria, porque não optar por bolos caseiros à base de fruta?”.
Vantagens da fruta para o organismo

– Regulação do trânsito intestinal
– Benefícios sobre a flora intestinal
– Regulação do funcionamento da vesícula biliar
– Regulação dos níveis de colesterol
– Regulação da tensão arterial
– Prevenção da diabetes tipo II
– Acção preventiva de vários tipos de cancro
– Prevenção da obesidade
– Prevenção das doenças cardiovasculares

O consumo de fruta ajuda a regular a função digestiva, estimula as defesas orgânicas e promove o crescimento e desenvolvimento de crianças e adolescentes

“Mais de 2,7 milhões de vidas poderiam ser salvas todos os anos se cada pessoa consumisse quantidades adequadas de frutos e vegetais”

A fruta pode ser dada a todas as refeições: pequeno-almoço, merenda da manhã e da tarde, sobremesa do almoço e jantar

“Nos dias de festa, em vez dos doces de ovos e dos bolos de chantilly e chocolate comprados na confeitaria, porque não optar por bolos caseiros à base de fruta?”
(SAPO, em Bebés Saúde Fruta)
http://familia.sapo.pt/bebe/amamentacao_e_alimentacao/bebe_saude/1013723.html

pt Português
X