Segurança Alimentar

A jóia do campo tem um total controlo sobre os seus legumes e as suas frutas, desde o produtor até ao consumidor, fazendo parte de uma cadeia de fornecimento de alimentos, devem ser capazes de garantir elevados níveis de qualidade e segurança alimentar, que possam ir ao encontro das expectativas dos nossos clientes. Hoje, em todo o mundo, os princípios de HACCP (Hazard Analysis and Critical Control Points), são cada vez mais usadas pelos operadores da área alimentar.

Este sistema permite uma abordagem sistemática que cobre todos os aspectos da segurança do produtos alimentares, em todas as etapas de produção desde as matérias-primas, colheita, produção e compra até à utilização do produto final.

Através de um sistema de HACCP, é possível adoptar uma abordagem normalizada para garantir a segurança dos alimentos, ajudando as empresas a demonstrar o seu compromisso no cumprimento da legislação e na satisfação dos seus clientes, para além de uma maior rentabilidade dos recursos técnicos e económicos.

Com a área de segurança alimentar, a jóia do campo pretende dar-lhe a conhecer o tipo de tratamento que é aplicado desde a matéria-prima até si ao produto final, passando por um elevado nível de controle e de higienização.

Veja os 8 passos que a Jóia do Campo cumpre até que a fruta e legumes chegue até si

Passo 1

COMPRAR
– Comprar a fornecedores qualificados;
– Incluir requisitos de segurança alimentar nos acordos comerciais para compra de produtos alimentares;
– Aceitar unicamente alimentos entregues a temperaturas adequadas, em transporte com boas condições de higiene e correctamente equipado;

Passo 2

RECEPCIONAR
– Inspeccionar os alimentos durante a entrega, no que respeita a temperaturas adequadas, danificação do conteúdo e presença de pragas;
– Rejeitar todos os produtos que não cumpram os requesitos;
– Armazenar os alimentos recepcionados imadiatamente;
– Manter limpa a zona de recepção de produtos alimentares;

Passo 3

ARMAZENAR
– Identificar os alimentos e colocar a data de entrega;
– Efectuar uma correcta rotação de stocks ( FIFO: o produto com data de validade mais curta é o primeiro a ser utilizado );
– Evitar a contaminação cruzada;
– Armazenar produtos químicos em locais apropriados e separadamente dos produtos alimentares e dos materiais de embalagem;
– Controlar as temperaturas de armazenamento, especialmente se forem de refrigeração e/ou congelação;

Passo 4

PREPARAR
– Lavar as mãos frequentemente, correctamente e nas alturas adeuqadas;
– Manter os alimentos fora da Zona de Perigo: 5ºC , -65ºC;
– Não preparar os alimentos com muita antecedência;
– Descongelar correctamente os produtos alimentares;

Passo 5

COZINHAR
– Evitar a contaminação cruzada;
– Utilizar um termómetro para alimentos correctamente limpo;
– Verificar as temperaturas internas dos alimentos;
– Cozinhar bem os alimentos, de forma a obter a adequada temperatura interna;

Passo 6

SERVIR E MANTER
– Evitar a contaminação cruzada;
– Manter os alimentos a temparaturas adequadas: abaixo dos 5ºC ou acima dos 65ºC;
– Verificar as temperaturas internas dos alimentos;
– Monitorizar as temperaturas dos equipamentos de manutenção a quente e a frio dos alimentos;
– Cumprir as boas práticas de higiene pessoal;
– Manter um programa de higienização das instalações;

Passo 7

ARREFECER
– Arrefecer rapidamente;
– Utilizar recipientes pré-refrigerados e com pouca profundidade;
– Verificar as temperaturas internas dos alimentos;
– Armazenar adequadamente;

Passo 8

REAQUECER
– Reaquecer rapidamente;
– Reaquecer os alimentos até atingir uma temperatura adequada;
– Não reaquecer os alimentos em equipamentos de manutenção a quente;

pt Português
X